cidades sustentáveis 1

Resolvi fazer uma seção de posts sobre cidades sustentáveis para trazer alguns bons exemplos de planejamento urbano, política pública, mobilidade e gestão de cidades que aplicaram conceitos de sustentabilidade no seu planejamento e tiveram grandes sucessos.

Para isso vou usar como meu guia e inspirador o arquiteto dinamarquês Jan Gehl, o “guru” das cidades para bicicletas.

Seu escritório possui projetos espalhados pelo mundo todo, além de várias consultorias para cidades como São Francisco, Dublin, Londres e Copenhagen, é claro.

Para começar, quero definir alguns pontos que as cidades devem ter para serem consideradas sustentáveis. Nas palavras de Jan Gehl “uma cidade sustentável deve ser uma cidade amigável para as pessoas. Uma cidade com bons espaços públicos. Uma cidade que realmente convida as pessoas a andar de bicicleta o tanto quanto possível. Um ambiente agradável para praticar caminhada e ciclismo com um bom domínio público é também um bom ambiente para o transporte público, isso é importante que tenha uma boa conexão. Reforçar o transporte público será essencial no futuro, a fim de nos tornarmos menos dependentes dos carros particulares e também para que as cidades sejam mais humanas.”

Para citar algumas iniciativas para tornar a vida das cidades mais sustentável, prefiro começar por cidades com problemas mais próximos das cidades brasileiras. Bogotá, na Colômbia é apontada por Gehl por realizar intervenções bem interessantes no início do século 21. É uma cidade com mais de 7 milhões de habitantes que foi marcada pela guerra civil e a desordem.

As intervenções realizadas na época pelo prefeito Enrique Peñalosa, foram em certa medida sustentáveis, mas com uma grande conotação social. Antes, apenas 20% dos habitantes usavam carros particulares, mas quase todo o investimento público era para infraestrutura do automóvel. Ele queria reverter isso e aplicar os investimentos para os 80% que não têm carro. Para ele, a forma de desenvolver a economia de uma cidade pobre, seria fazer com que a parte menos favorecida da população tivesse maior e melhor mobilidade urbana. Investiu nos espaços públicos, nas calçadas, e tornou a cidade mais tranquila. Ele fez um grande esforço para criar ciclovias e desenvolver uma cultura da bicicleta.

Todos os domingos, eles fecham 120 Km de ruas de Bogotá e convidam a população para sair e fazer a ‘ciclovia’ (o dia da bicicleta). Quase 1,5 milhões dos mais de 7 milhões de habitantes aderem a este festival notável da bicicleta. Ele também introduziu um sistema de ônibus rápido, o TransMilenio, com corredores de ônibus e semáforos inteligentes que priorizam a passagem de ônibus, permitindo que o tráfego dos ônibus sejam muito mais rápidos. Este sistema de ônibus barato e eficiente garante o transporte da população mais pobre de maneira mais segura e eficaz.

Estamos em ano de eleições municipais, é hora de refletirmos sobre as nossas cidades e sobre a forma como queremos viver nelas. O futuro é nossa responsabilidade. As iniciativas também devem partir de nós. Espalhar bons exemplos, boas idéias e ter consciência do nosso papel é saber onde se pode chegar. Eu quero viver numa cidade mais sustentável. 🙂

Anúncios

Tags:, , , , , , , , ,

About Ana Paula

Sou Ana Paula, arquiteta e paulistana. Atualmente santista. Santos é a cidade que escolhi viver. A cidade para mim tem que manter sua identidade e a identidade de seus habitantes. Uma grande cidade tem que garantir mobilidade. Tem que dar segurança e provocar liberdade. Toda cidade tem que ser humana e nunca deve ceder o espaço das pessoas para as máquinas.

3 responses to “cidades sustentáveis 1”

  1. rafael says :

    Belo post e uma ótima dica para 2012…o poder municipal é o mais próximo e por isso mesmo afeta mais diretamente nosso cotidiano.

  2. Adelina Magalhaes says :

    A bicicleta sempre esteve presente no cotidiano do brasileiro.
    A classe política que parece ignorar este potencial saudavel.

  3. Fabiomc57@gmail.com says :

    Cidades europeias, como Berlim, Paris, Milao, Amsterdam, Barcelona e as dos paises escandinavos sao extremamenta ativas em relacao as biciclatas como meio de transporte, o que nos demonstra que cidades com milhoes de habitantes tambem podem ter na bicicleta um meio de transporte viavel. Sobre o “fechamento temporario das ruas”, essas cidades tambem o fazem, aos sabados ou domingos, permitindo una ampliacao do espaco para lazer publico. Na maioria das grandes capitais ou grandes cidades brasileiras essas medidas seriam muito bem vindas. O aumento da densidade populacional das cidades no Brasil, visto no reflexo causado aos altos precos do metro quadrado, reduz a possibilidade de areas privadas, o que urge ao poder publico, garantir espaco publico adequado e como foi bem colocado, em breve teremos elecoes.
    Ouvi sobre um movimento, que e, ate um deputado/vereador, nao necessaria mentente para votar nele, mas para cobra lo diariamente. Pois, independente se votamos ou nao, ele recebe de nossos impostos e supomos que trabalha em nosso nome.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: