cidades sustentáveis 3

Muito famosa como uma das megalópoles mais poluídas do mundo, a Cidade do México com mais de 20 milhões de habitantes, está começando a ver os frutos de anos de esforços na limpeza do ar e finalmente respirar um ar um pouco mais limpo na sua cidade.

Embora não seja um modelo de gestão, a qualidade da gestão ambiental da Cidade do México é bem acima da média em comparação a outras cidades da América Latina. No início de 1990, uma série de problemas de poluição alarmantes empurrou a questão ambiental para o topo da agenda pública e política.

Em 1992 a cidade recebeu o título de cidade mais poluída do planeta, os altos índices de ozônio no ar por mais da metade do ano, chegaram a colocar a qualidade do ar como “estado de emergência”, limitando o número de carros nas ruas, suspendendo obras públicas e cancelando atividades ao ar livre. Nas últimas duas décadas, a cidade tem feito um esforço tremendo para melhorar o seu desempenho ambiental. A Secretaria de Meio Ambiente Municipal tem sido elogiada, entre outras coisas, pela sua abordagem proativa para a gestão ambiental.

https://i1.wp.com/infosurhoy.com/cocoon/saii/images/2012/07/05/photo1A.jpg

Uma frota de 20 táxis elétricos circulam no Centro Histórico da Cidade do México (Cortesia da Secretaria do Meio Ambiente da Cidade do México)

A programação de monitoramento da cidade é único e funciona muito bem. A cidade teve a capacidade de adotar a sua própria legislação ambiental. Em 2007, o município da Cidade do México implementou uma iniciativa de gestão verde, elaborou e publicou o Plan Verde (Plano Verde) plano transdisciplinar de 15 anos, para ser executado até 2021.

O plano, que tem o apoio do Banco Mundial e as Nações Unidas, consiste de 26 estratégias e 113 áreas de foco especiais distribuídas em espaços públicos, resíduos, uso do solo, mobilidade urbana e saneamento. Todos têm o propósito de melhorar a sustentabilidade da cidade. Aproximadamente US $ 1,2 milhões estão sendo retiradas a cada ano para o projeto, o equivalente a 8% do orçamento anual da cidade.

Ai se fosse no Brasil! 😦

Seguem as principais iniciativas utilizadas na capital mexicana:

  • Sistema de rodízio (das 5h às 22h), em dois dias úteis da semana e um sábado por mês;
  • Rigorosa inspeção veicular, realizada a cada seis meses, há mais de 20 anos;
  • Implementação de sistema de empréstimos de bicicletas, o Ecobici;

O Ecobici tem mais de 1.000 bicicletas e 85 estações distribuídas entre 5 distritos pela cidade. A Cidade do México publicou um Manual do Ciclista Urbano que estimula e informa os habitantes sobre os benefícios do uso da bicicleta como transporte, além de dar instruções de conforto e segurança para o ciclista. (Olha só que dica boa para o próximo prefeito de Santos! 😉)

  • Implantação de 100km de ciclovias permanentes e mais 24km aos domingos, no centro histórico da cidade;

  • Sistema Metrobus, semelhante ao de Curitiba, com a substituição dos microônibus;
  • Valoração dos serviços ecossistêmicos prestados pela conservação do solo, para o desenvolvimento de estratégias integradas para beneficiamento daqueles que mantém o solo conservado;
  • Recuperação e criação de espaços públicos para convivência e integração social;
  • Construção de infraestrutura de contenção do solo, evitando erosão e sedimentação
  • Introdução do diesel de baixo enxofre no transporte público;
  • Substituição na frota de microônibus e táxis antigos, por automóveis de maior capacidade e com tecnologiamenos contaminante, por sistema de financiamento pelo governo e subsídios;
  • Incentivo à reformulação de embalagens e materiais de acondicionamento e utilização de produtos biodegradáveis e/ou recicláveis, minimizando a geração de resíduos;
  • Consolidação do Centro Virtual de Mudanças Climáticas da Cidade do México;
  • Substituição de lâmpadas comuns por lâmpadas de baixo consumo para uso eficiente de energia no setor público. 

Mais informações no Programa Cidades Sustentáveis.

Anúncios

Tags:, , , ,

About Ana Paula

Sou Ana Paula, arquiteta e paulistana. Atualmente santista. Santos é a cidade que escolhi viver. A cidade para mim tem que manter sua identidade e a identidade de seus habitantes. Uma grande cidade tem que garantir mobilidade. Tem que dar segurança e provocar liberdade. Toda cidade tem que ser humana e nunca deve ceder o espaço das pessoas para as máquinas.

One response to “cidades sustentáveis 3”

  1. Rafael says :

    Algumas medidas até já foram copiadas aqui no Brasil, mas sempre com alguns anos de atraso. A boa noticia de ler esse post é ver que as cidades latino-americanas tbém estão se preparando para enfrentar o novo paradigma de convivência urbana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: